15 novembro 2012

Brincar à Grécia.

Ontem aconteceu uma coisa esquisita, mais ou menos parecida com comprar t-shirts do Che, boinas do Mao e fumar ganzas em tertúlias pseudo-culturais mas, desta vez com pedras, caras disfarçadas e um bocado mais de rebuliço. Depois a PSP decidiu acabar com a festa porque já chegava de parque-infantil.

O resultado disto é que para chegar a casa, eu e tantos outros atravessámos uma espécie de exposição de rua intiludada Traços da Revolução em Curso ou qualquer coisa assim: caixotes e ecopontos queimados, os habituais símbolos dos porcos capitalistas vandalizados, cacos de garrafas partidas, calçadas descarnadas e postes no chão.

Não posso deixar de agradecer à vanguarda pela sua defesa dos meus interesses, pela sua batalha pela minha liberdade. Acho que os funcionários da Carris que tiveram de ir limpar os carris do eléctrico que estavam cheios de plástico derretido às tantas da noite também vos querem agradecer muito. Ó se querem!

Viva o amanhecer anarca! Fuck the system man!

PS: Queria só pedir aos arruaceiros estrangeiros que participam dessa diáspora da tribo da revolução, que fossem atirar pedras e partir janelas para a terra deles.

PS2: Ontem também aconteceu uma manifestação da CGTP. Segundo o secretário Arménio Carlos, foi uma das maiores de sempre, aliás, como todas as outras.

3 comentários:

van Uden disse...

Estrangeiros para a terra deles? olha que ainda es acusado de xenofobia...

João Maria Corrêa Monteiro disse...

bolas... eu que nunca tive jeito para o politicamente correcto...

Pyny disse...

Ser politicamente correcto perde a piada toda. Muito bom o post João.